Seja Bem-vindo, Papa Francisco

A Jornada Mundial da Juventude apresenta a canção “Seja Bem Vindo” do Padre Fábio de Melo! Música celebra a vinda do Papa Francisco ao Brasil!

A música que tem composição assinada pelo Padre Fábio de Melo, é mais que uma recepção ao Papa, reconhece sua liderança como bom pastor, mensageiro do Senhor e o convida a guiar seu povo.

São Francisco de Assis – 4 de Outubro

 

Viveu de 1181 a 1226. Um dos mais amados e populares santos do mundo. Chamado de “O Pobre Homem” “Il poverello” . Nascido em Assis, na Itália e filho de Pedro Bernadone, um rico comerciante de sedas , Francisco passou sua juventude a procura de prazeres e era uma figura popular entre os jovens. Em 1202 ele foi convocado para a guerra e foi tomado prisioneiro. Em 1205 ele teve visões e fez uma peregrinação a Roma no ano seguinte. Quando voltou a Assis ele foi denunciado pelo pai como um lunático onde foi deserdado.

Francisco foi para igreja de São Damiano que estava quase em ruínas e a reparou com a ajuda de amigos e seguidores. Em Pontiuncula, uma pequena Capela ele dedicou-se a cuidar dos pobres. Em 16 de abril de 1209 ele fundou a Ordem dos Franciscanos. Em 1210 recebeu a aprovação do papa Inocencio III, numa dramática audiência papal. Clara também de Assis (Santa Clara de Assis) passou a segui-lo em 1212 e fundou a ordem das Clarissas. Francisco tentou ir para a Síria e Marrocos de 1212 a 1214 mas não conseguiu . Ele obteve a Portiuncula Indulgencia do papa Inocencio III e começou a regulamentar a sua Ordem e as exigência para ser membro dela. Uma das exigência era a pobreza total e a obediência total. Em 1212 Santa Clara e ele e fundaram a ordem das Clarissas Pobres. São Francisco e 5000 franciscanos foram ao encontro papal de 1212 e Francisco foi para o Egito e passou a pregar para os muçulmanos. Ele encontrou-se como o Sultão Malik al-Kamil em Damietta,Egito .O Sultão reconhecendo Francisco como um homem santo não permitiu que ninguém o prendesse, mas ele não fez nenhuma conversão no Egito.

Francisco retornou a Itália porque membros da ordem estavam mudando suas regras original para abranda-las. Ele procurou a ajuda do Papa para proteger as suas regras e este enviou Francisco por toda a Europa e Oriente Médio. Em 1223 Francisco se aposentou como superior da ordem .Ele construiu um pequena Creche no natal naquele ano e foi o fundador do costume de se fazer presépios para adornar as igrejas no natal.

Em 14 de setembro de 1224 enquanto orava na ermida de Monte Alvernia ele recebeu os estigmas (estigmatas). Ele morreu dois anos mais tarde em 3 de outubro de Assis e foi canonizado em 1228. Nunca se ordenou porque não se considerava digno do sacerdócio. São Francisco de Assis teve um grande impacto na vida religiosa da igreja.Sua vida foi caracterizada por uma adoração a Jesus de uma maneira alegre, jovial e reverenciava a natureza e a sua preocupação com os doente e pobres era enorme.
A Ordem dos Franciscanos é uma das maiores e mais fortes da igreja junto a dos jesuítas, dominicanos e beneditinos. Ele é mostrado na arte litúrgica com o seu habito, as estigmatas e algumas vezes com um crucifixo com asas. Ele também as vezes é, mostrado dando sermões a animais e pássaros.

Sua festa é celebrada em 4 de outubro.

A primeira regra de São Francisco é a pobreza. Se você ver um relógio no pulso de um franciscano pode saber: não é dele, é da ordem. Eles não podem possuir nada, como os jesuítas.
São Francisco deu tudo que tinha e amava todas as criações de Deus e tinha um grande amor a natureza e é o padroeiro da Ecologia. Seu amor valeu a ele a conhecida oração “Cântico das Criaturas” e Irmão Sol”.
Seu amor a paz e sua estima por Jesus fez ele fazer uma nova versão do “Pai Nosso”

Ele é considerado o inventor do presépio. Fazendo o primeiro em 1223.

No dia 17 de setembro é comemorado o dia da impressão das chagas de São Francisco de Assis que tambem é conhecido como São Francisco das Chagas.
Teria sido o primeiro santo a receber os estigmas.(stigmatas)

Como Francisco converteu três ladrões homicidas

Uma vez São Francisco conheceu um rapaz de nome Ângelo e o colocou como guardião do convento de Monte Casale .
Eis que um dia três ladrões famosos foram ao dormitório dos irmãos e pediram ao guardião, irmão Ângelo, algo para comer. O irmão respondeu bravo: “Não tens vergonha ladroes e assassinos ? Não contente de roubar tendes a coragem e a insolência de vir pedir comida aos servidores de Deus? Não merecem sossego na terra. Fora daqui! E não voltem mais..
São Francisco chegou logo depois com um alforje de pão e um recipiente com vinho e o Ângelo contou a ele como havia despachado os ladroes. São Francisco o repreendeu fortemente e deu vários exemplos onde Cristo comia com os justos e os pecadores . Assim que terminou disse ” pegue este alforje e este vinho e vá dar a eles “.
São Francisco se pôs a rezar a Deus para abrandar os corações dos ladrões .
Os ladrões enquanto comiam a comida enviada por São Francisco pensavam:” Que vergonha, que miseráveis somos nós, que duras penas nos esperam no inferno ,nós que só damos morte e desgosto ao nosso próximo!”De comum acordo resolveram os três ir conversar com São Francisco. São Francisco os recebeu com bondade, e amável e alegre, os animou com muitos exemplos que poderiam conseguir, ainda, a misericórdia de Deus e concluiu: ” Jesus veio a terra para resgatar a todos inclusive os pecadores.” Movidos por estas palavras os três ladrões renunciaram a vida que viviam e entraram para a Ordem e começaram a fazer grandes penitencias. Dois deles morreram logo, pouco tempo após sua conversão e devem terem ido para o Paraíso. O terceiro ainda viveu por muito tempo e recordando sem cessar de seus pecados levou um vida de penitencia por 15 anos e acabou sendo um dos melhores irmãos franciscanos.

Como São Francisco amansou um lobo feroz

Quando São Francisco morava na cidade Gubbio, apareceu na comarca um grande lobo, terrível e feroz não só devorava os animais mas também atacava os homens ao ponto de que estavam todos aterrorizados, porque varias vezes o lobo chegava bem próximo da cidade. São Francisco movido pela compaixão desta gene quis sair e enfrentar lobo, mas os moradores da cidade não quiseram deixar e tentaram dissuadi-lo.

Mas São Francisco caminhou resolutamente para onde estava o lobo e na vista de muitas pessoas aconteceu o seguinte: O lobo avançou em direção de São Francisco com a boca aberta e Francisco fez o sinal da cruz o chamou e disse ao lobo: “Vem aqui irmão lobo, eu te mando da parte do Nosso Criador Jesus Cristo que não cause dado a ninguém e a nada .Coisa admirável. Apenas isto e o terrível lobo fechou a boca e se aproximou mansamente e deitou aos pés de São Francisco.

São Francisco então disse : “Irmão lobo, tu estas fazendo muitos danos e medo neste povoado maltratando e matando criaturas de Deus sem a permissão Dele. Você não está contente em matar outros animais e bestas e ainda tem o atrevimento de dar morte e causar danos ao homem , imagem de seu Deus .Por tudo isto está merecendo a forca de ladrão e homicida malvado. Quero irmão lobo fazer as pazes com você e o povo dessa cidade, assim pare de perseguir os homens e seus animais .Com estas palavras o lobo baixou a cabeça e São Francisco disse “vou fazer que o povo desta cidade te dê o necessita de modo que não passe fome, mas não faça nenhum mal nem ao homem nem a outro animal.Me prometes? O lobo inclinando a cabeça diz entender claramente o que dizia São Francisco e este estão disse; ” venha comigo “.

O lobo levantou a pata dianteira e colocou-a na mão de São Francisco e daquela data em seguida o lobo ia de porta em porta e todos o tratavam como a um cachorro de estimação e davam a ele comida e abrigo. E o lobo não causou nenhum mal a esta gente.
Viveu mansamente e morreu de velho nesta cidade como lembrança do milagre de São Francisco.

(Comunidade Católica Shalom – http://www.comshalom.org)

A Cruz e o jovem. Sinal da escolha por Cristo

Alguns podem pensar se, nos dias de hoje, seria apropriado falar de cruz ou de provação para os jovens. Realmente, a juventude do nosso tempo parece não estar disposta a ouvir um convite ao seguimento de Cristo que fale sobre a cruz e sobre sacrifícios. Por isso, muitos caem no engano de querer passar um Evangelho “light” para os jovens, sem “radicalismos”, com medo de espantá-los… Que engano! Mal sabem que o que afasta os jovens do Senhor é a mediocridade, é justamente esta falta de radicalidade. Também não é correto aplicar um fundamentalismo irracional, mas é preciso passar aos jovens um anúncio explícito e integral do Evangelho.

Como sabiamente nos ensinou o papa dos jovens, João Paulo II: “A juventude do nosso tempo sente fortemente a atração pelas alturas, pelas coisas desafiadoras, pelos grandes ideais. Se transmitirmos aos jovens, sem cortes ou falsos pudores, os grandes valores do Evangelho, eles estarão prontos a responder”. O jovem e a cruz não são opostos e, mesmo se fossem, poderíamos afirmar, mais do que nunca, que os opostos se atraem.

A cruz foi confiada à juventude pelo papa João Paulo II, por isso, hoje, simbolicamente, vários jovens levam uma enorme cruz de madeira na Semana Santa e durante as jornadas mundiais da juventude. O papa reconhecia nos jovens o vigor necessário para sustentar a cruz.

Podemos também dizer que a juventude espiritual é condição necessária para carregar a cruz. Os santos e mártires, quando carregaram suas cruzes (perseguições, calúnias, doenças e morte), estavam na “flor da idade” espiritual.

João Paulo II, durante um encontro com os jovens, já com a saúde debilitada pela idade, exclamou: “Sou um jovem de 83 anos!”. Essa é a juventude que não depende da idade… Alguns dizem que a juventude não é uma fase da vida, mas um estado da alma. Uma alma que se encontra envelhecida não consegue mais ver sentido na cruz, não a vê com esperança.

Nas Sagradas Escrituras, São João, o discípulo mais jovem, escreve-nos em sua primeira carta: “Jovens, vós sois fortes, a Palavra de Deus permanece em vós e vencestes o maligno”. Essa passagem é muito significativa para compreendermos melhor o motivo pelo qual o Papa confiou a cruz à juventude.

O jovem, apesar de todos os flagelos que o assolam no nosso tempo (materialismo, hedonismo, permissivismo, promiscuidade sexual, etc.), é dotado de um espírito que está sempre a buscar o transcendente, a buscar emoções novas e algo pelo qual lutar. Essas características o capacitam a encarar a cruz com um olhar confiante e cheio de esperança.

Manifestação nas dificuldades

Afinal, o que é essa cruz? Como foi dito sobre os santos, a cruz pode se revelar a nós através das perseguições que sofremos, doenças, lutas pessoais e até mesmo da morte. A cruz pode ter essas ou várias outras faces. Mas o certo é que a cruz sempre estará presente na vida daqueles que optam por seguir Jesus, pois Ele mesmo associa diretamente o seu seguimento com a cruz quando diz: “Aquele que quiser seguir-me, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me” (Mt 16,24).

Queremos seguir o Senhor, mas não queremos tomar nossa cruz. Diz-nos São Francisco, o pobre de Assis: “Os que não sabem do Crucificado não sabem nada do Ressuscitado. Os que não falam do Crucificado também não podem falar do Ressuscitado. Os que não passam pela sexta-feira da Paixão nunca vão chegar ao domingo da Ressurreição”. Na nossa vocação, chamamos Jesus de o Ressuscitado que passou pela cruz. Ele ressuscitou, mas, para que isso acontecesse, teve antes que morrer no lenho da cruz. São duas realidades que não podemos separar.

O jovem (e todo homem) deve entender que toda cruz é portadora de um potencial redentor, diz-se potencial pois ela pode redimir, mas não necessariamente cumprirá seu papel salvífico se não soubermos carregá-la. Dessa forma, vamos tornando-a motivo de desespero, murmuração e desconfiança em Deus. Porém, se todo o potencial redentor, purificante e libertador da provação for bem vivido através do abandono em Deus, da paciência e do oferecimento do sofrimento que passamos como sacrifício, a cruz será porta para o céu.

Sacrifícios de cruz

Quando um jovem se decide pelo seguimento de Cristo, muitas situações desafiantes se apresentem como sacrifício de cruz: a objeção da família, a rejeição dos amigos, as tentações do pecado e a própria sociedade, que de todas as formas tentam tirar Deus do coração das pessoas, sendo os jovens seus maiores alvos.

Os jovens são muito atingidos, pois o demônio sabe qual seria o poder de uma geração de jovens santos no seguimento de Cristo, que impacto isso seria para o mundo. “O terceiro milênio aguarda a contribuição da fé e da inventiva de uma multidão de jovens consagrados, para que o mundo se torne mais sereno e capaz de acolher a Deus e, nele, todos os seus filhos e filhas”. Diz-nos João Paulo II em sua exortação vita consecrata.

Para viver a cruz é preciso antes contemplá-la. Ela sempre irá nos remeter à palavra sacrifício, palavra essa tão obsoleta para o mundo atualmente. O sacrifício vivido como cruz, ou seja, unido ao sacrifício de Cristo, é um crivo, uma peneira que retira os excessos. É como uma fornalha que vai purificando e nos fazendo ficar somente com o essencial.

A cruz nos faz ter o olhar voltado somente para Deus. Pela falta de um olhar sobrenatural, não entendemos o nosso sofrimento e o sofrimento do homem. Somente vamos entender o sofrimento, que é sempre presente na existência humana, se partirmos da contemplação do sofrimento de Cristo.

É importante também saber que não somos chamados a entender tudo, a saber o motivo das provações pelas quais passamos. Haverá muitas situações em que só nos restará nos curvarmos diante do mistério do sofrimento e esperarmos no Senhor. Talvez seja por isso que Deus permite o sofrimento, pois Ele sabe que a dor pode dobrar o mais duro e indiferente dos corações. Se não passarmos pelas provações, não poderemos dizer como Jó: “Te conhecia Senhor, somente em palavras, mas hoje meus olhos te viram”.

Por fim, é bom lembrarmos que Deus Pai escolheu uma jovem para ser a mãe de seu Filho. O Senhor confiou a mais alta missão que poderia ser dada a um ser humano a uma adolescente. Maria, na sua juventude, tinha em seu coração os anseios típicos de todos os jovens, seja qual for a época na qual estejam inseridos, tais como a busca pela felicidade, pelo amor verdadeiro, pelo sentido último da existência e por viver a vida em sua plenitude. A diferença é que para suprir esses anseios ela não buscava grandezas, mas buscava somente a grandeza que é Deus, que é a santidade. Maria foi-nos dada como mãe quando estava aos pés da cruz de seu filho, quando Jesus a confiou a João, o mais jovem dos apóstolos, o discípulo amado, que certamente só conseguiu estar aos pés da cruz pois estava ao lado de Maria. Recorramos sempre à Mãe de Deus, e que ao lado dela possamos contemplar a face do verdadeiro amor, deste amor que tanto buscamos em nossa juventude: o Cristo Crucificado!

Daniel Chagas
Missionário da Comunidade Católica Shalom

(Comunidade Católica Shalom – http://www.comshalom.org)

Nova Geração

“Jornada Mundial da Juventude

Projeto “Bote Fé”.

Bote Fé” é uma iniciativa da Comissão Episcopal Pastoral para Juventude da CNBB, que justamente com as dioceses, pastorais e movimentos, quer chamar atenção para a evangelização da juventude.

O “Bote fé” vai agitar a capital paulista no dia 18/09, no Campo de Marte, com uma programação especial durante todo o dia e a acolhida da cruz da Jornada Mundial da Juventude que em 2013 será no Brasil.”

Jovens Novos para um mundo novo!

Deus tem buscado em todos os cantos jovens novos para um mundo novo que há de vir e de ser implantado com a vinda gloriosa do Senhor.
Estamos vendo o cumprimento das profecias de Jesus, dos profetas, e de todos os escritos bíblicos sobre a vinda do Messias, a segunda vinda de Nosso Senhor Jesus Cristo.

E que jovens o Senhor procura?

Jovens decididos pelo céu, jovens empenhados na verdade do Evangelho, jovens autênticos, que não jogam fora a sua juventude com a oferta do mundo, com a oferta da televisão, das musicas contaminadas.
Os jovens que Deus procura, são jovens que decidiram a cantar um cântico novo, decidiram a assistir programas de TV que edificam e que trazem mensagens de vida e de superação. “Eu vos escrevo, jovens, porque vencestes o maligno. Eu vos escrevo, jovens, porque sois fortes, conservais a palavra de Deus e vencestes o maligno. Jovens, estamos na ultima hora, ouvistes que deve vir o Anticristo”.(1 Jo, 13-14. 18)

Os jovens que Deus procura, precisam estar preparados para acolher o Senhor que vem em gloria, esses jovens precisam viver a castidade, a santidade, relacionamentos santos, amizades que levam para Deus. Jovens que não tem vícios, jovens sarados como dizia o nosso saudoso Pe.Leo. “Ninguém te despreze por seres jovem; procura ser modelo dos fieis na palavra, na conduta, no amor, na fé, na pureza”. (1 Tm 4, 12).

Juventude, e hora de alegrar o coração de Deus com uma resposta diferente, uma resposta verdadeira, autentica. E hora de reação, e hora de decisão pela vida nova que o Senhor quer nos dar.

O Servo de Deus Joao Paulo II no ano 2000 na mensagem para a Jornada Mundial da Juventude, disse: “Jovens, se forem aquilo que deveis ser, incendiareis o mundo”.

Os jovens que Deus procura são aqueles que vivem num avivamento espiritual!

Se entregue, seja autentico e faca a diferença!

Pe.Roger Luis

(Canção Nova ;D blog.cancaonova.com/padrerogerluis)

Vocação: Identidade de vida

Na história concreta de existência das pessoas, um dado fundamental que as identifica é o seu estado natural de vida, a escolha que cada uma faz e assume na expectativa da felicidade. Dizemos e chamamos a isso de vocação ou realização pessoal.

Nem sempre podemos dizer que uma profissão seja propriamente uma vocação. Muitas pessoas realizam aquilo que não coincide com o que gostariam de fazer. Seria uma vocação errada ou falta de oportunidade para exercer realmente o que gostariam?

Na verdade, fazemos bem alguma coisa quando temos vocação para tal. Vocação tem a ver com a intensidade com que fazemos algo e a felicidade que daí podemos conseguir. Portanto, a medida da vocação está na amplitude da felicidade vivenciada.

O termo “vocação” vem da palavra latina “vocare”, que quer dizer chamar. No contexto cristão dizemos que o vocacionado é uma pessoa que sentiu em si a vontade de Deus. É uma inclinação interna, que supõe um seguimento, uma resposta concreta de ação e vida.

Não é difícil ver quem realmente é vocacionado. As suas ações são fecundas e benéficas para os outros. Ele põe vida no que faz e se identifica com sua ação. Caminha firme, sem medo e sem vacilar, porque está seguro da própria identidade e missão.

No mês de agosto destacamos alguns tipos de vocações, todas elas identificadas com algum trabalho dedicado ao povo. Falamos da vocação sacerdotal, vocação dos pais, dos religiosos e religiosas, dos leigos e leigas cristãos, entre eles, os catequistas.

São muitos os vocacionados na sociedade, cada um dentro de seus objetivos de vida concreta e com oportunidade de fazer o bem na construção de um mundo melhor e mais saudável para todos. Importa colocar essas qualidades naturais para render e dar frutos.

Essa identidade de vida deve ser descoberta por cada pessoa. Além da descoberta, é uma escolha que supõe muita atenção, principalmente na adolescência e juventude. Havendo um erro, ele pode ser prejudicial e trazer consequências indesejáveis, prejudicando e dificultando um futuro feliz.

(Canção Nova ;D Dom Paulo Mendes Peixoto – Formação)

Alegria que não passa…

Jovens, busquem a santidade!

Busquem o Cristo que vos ama e vos espera!
Não há vida melhor!
Dá pra ser jovem e viver no mundo sem ser do mundo!
Eu não tenho dúvida de que escolhi a melhor parte!
Viver a minha juventude, a minha vida em/para Deus!

Sou muito feliz e sei que é essa a verdadeira felicidade,
a que não passa… Jesus Cristo!